ALM – Conhecendo um Pouco mais sobre ALM – Post 15 de 100 – Infraestrutura como Código ou “Infrastructure as Code”

Introdução

Esse artigo tem como objetivo explicar sobre o termo Infrastructure as Code (IaC), seu uso em ALM (DevOps), estudos de caso, práticas e ferramentas disponíveis no mercado para auxiliar a entrega de aplicativos mais rápidos, com qualidade e cada vez mais aproximando o time de operações e desenvolvimento.

 

image

Figura do site da Microsoft (DevOps)

O que é o IaC?

Infraestrutura como código (IaC) é um termo adotado na ramificação de ALM (Application Lifecycle Management) denominado DevOps e que está sendo amplamente divulgado devido a sua abordagem no quesito velocidade e principalmente qualidade na entrega de ambientes de desenvolvimento, testes e produção para atender cada vez mais rápido o mercado de tecnologia.

Resumindo, a abordagem IaC nada mais é do que a entrega de uma infraestrutura ágil, utilizando-se de codificação simples e objetiva, sem a necessidade mais de diversos passos e processos para se preparar um ambiente, sem perder o poder de controle, segurança, qualidade e disponibilidade.

A Forrester® fez um estudo intitulado Infrastructure As Code: Fueling The Fire For Faster Application Delivery em que se demonstra através de um estudo de caso com diversos profissionais o ganho do uso de IaC em seus ambientes, diminuindo-se a latência entre a disponibilização de um software do time de desenvolvimento até a entrada do mesmo em ambiente de QA e Produção. Nesse excelente estudo, um dos pontos abordados foi quais os maiores desafios para se prover e configurar uma infraestrutura. Os pontos levantados foram os abaixo:

image

Sendo que uma das maiores dificuldades vistas foi justamente a falta de colaboração entre os times de Operações e Desenvolvimento, seguido de falta de habilidades em fazer scripts de configuração e erros de configuração. Essas situações são extremamente comuns no dia a dia e um dos principais ofensores nas entregas de aplicativos, pois consome-se muito tempo em gerenciamento de conflitos entre times, além de retrabalhos devido a BUGS mapeados devido a configurações incorretas realizadas, gerando todo um fluxo de trabalho para os envolvidos.

Vantagens

Olhando-se para o cenário exposto acima, é perceptivel o quanto o conceito IaC pode ajudar a mitigar as situações acima mencionadas. Como esse conceito, torna-se muito mais fácil a gestão de um ambiente de desenvolvimento, testes e produção, local, remoto ou hibrido, On-Premise, Datacenter ou Nuvem. A vantagem do uso do IaC está na lógica do conceito de se preparar ambientes com codificações simples e seguras, utilizando-se de soluções disponiveis no mercado, facilitando a gestão do time de operações, pois com pouca gestão e tempo, consegue-se disponibilizar ambientes extremamente complexos e com qualidade para serem usados. Além disso, da-se a liberdade ao time de Desenvolvimento, através de suas ferramentas de codificação, a “subir” um ambiente localmente ou em nuvem, sem a necessidade de intervenção do time de Operações na parte de entrega do ambiente, dando mais velocidade na entrega de aplicativos, assim o time de Operações consegue focar mais no “Core” do ambiente, não tendo que se preocupar em estar atendendo solicitações de ambientes.

Outra vantagem é a assertividade do uso do IaC na entrega de ambientes no quesito configuração e pré-requisitos, pois usando-se das tecnologias disponiveis, evita-se falhas de configuração, falta de pré-requisitos, falta de chaves de registro, diretórios, permissões, etc.

– Velocidade na disponibilização de ambiente, mudando-se o tempo de entrega de ambientes e dias para horas;

– Gestão efetiva dos ambientes;

– Liberdade ao time de desenvolvimento sem perder o controle, pois é possível ainda usar de ferramentas de aprovação, se assim a empresa necessitar, dando uma gestão, controle e atendendo a legislações e práticas de modelos ISO, CMMI, entre outros;

– Integração com ferramentas de entregas de ambientes como o Microsoft Azure, System Center e Lab Management, Release Management e TFS Build Server vNext, e muitas outras;

image

Cenários

Imagine o cenário onde-se consegue disponibilizar um ambiente de virtualização, com todos os pré-requisitos instalados e todas as configurações feitas em minutos, e sem erros?

Ou garantir que uma configuração ou feature estará instalada no servidor, mesmo que alguém a remova de lá?

Um time de testes ou desenvolvimento, através de sua própria ferramenta como Visual Studio, Lab Management, ou similar, conseguir “subir” um ambiente em minutos totalmente preparado para sua necessidade, com fácil gestão de scripts?

Um time de Operações demandar toda uma infraestrutura simplesmente usando um sistema de aprovação com o Service Manager, sem a necessidade de estar sempre tendo que formatar, criar VM, aplicar updates, ativar features, configurar permissões, etc.?

Ou ter ainda todo esse tramite de DEV, QA, Homologação e Produção em seu SaaS, ambiente Corporativo, sendo local, remoto ou hibrido, usando um gerenciamento de liberações com sistema de aprovações?

Todos esses cenários são possiveis com o IaC.

Pontos Chaves para o Sucesso

Antes de mais nada, é importante frisar que ferramentas são um meio de se obter o que é necessário, mas antes mesmo de entrar na esfera de ferramentas, deve-se ter muito bem “mapeado” dentro de sua empresa quais são as dificuldades atuais, quais são as barreiras a serem “quebradas” quais são os objetivos a serem atingidos o como o IaC pode ajudar. Inicialmente se sugere que leia o artigo da Forrester na integra para identificar em quais pontos a sua empresa se encontra para poder trabalhar neles.

No que se tem visto ao uso do IaC nas empresas que adotaram tal conceito, foi-se:

– Melhor colaboração entre os times;

– Ganho de velocidade nas entregas (desde o desenvolvimento até a produção);

E os pontos trabalhados para se entender onde o IaC pode ajudar foi no:

– Estudo de pontos de “falha” no processo de configuração entre os times de Dev, Ops e até mesmo Dev e Testes;

– Alinhamento de quais ferramentas e códigos serão usados para a adoção do IaC, para que todos estejam “falando” a mesma lingua;

– Entender os locais de gargalo atuais na preparação e disponibilização de ambientes, e como o IaC pode ajudar (se a causa for realmente configuração);

– Ter as equipes comprometidas e alinhadas nessa nova fase de adaptação;

– Tempo e dinheiro para as equipes treinarem e se capacitarem nas tecnologias emergentes e consolidadas para serem usadas com assertividade, diminuindo-se o “tentativa e erro” que é uma das maiores causas de frustração e cancelamento de uma boa idéia.

Ferramentas e Materiais Disponíveis

Atualmente há diversas ferramentas no mercado, e aqui há algumas que estão disponiveis para serem usadas dentre as quais:

– Powershell DSC

Ferramenta disponivel nativamente no Windows Server 2012 R2 e Windows 8.1, que facilita a implementação features e configurações no Windows. Sua diferença do Powershell como conhecemos é que essa ferramenta utiliza duas simples lógicas “Present” e “Absent” ou seja, em pouco mais de 05 linhas de comando simples você determina se uma configuração, chave de registro, permissão, feature ou requisito está presente ou ausente do servidor ou computador cliente e o Powershell encarrega-se de entregar isso. E o mais legal dessa ferramenta é que você pode ter um servidor central, onde todos os demais servidores ou computadores clientes consultam esse servidor a cada 05 minutos, mantendo-se integro as configurações determinadas, mesmo que as permissões, chaves, features forem removidas incorretamente ou por falha, dando assim qualidade e garantia em seu ambiente. Como isso, você pode realizar um cenário similar ao abaixo:

image

ou

image

– Release Management

O Release Management é uma ferramenta parte integrante da solução de Application Lifecycle Management da Microsoft que tem como objetivo dar velocidade e qualidade na implantação de aplicativos em ambientes de testes, homologação e produção. Com o gerenciamento de lançamentos no Visual Studio, você pode configurar, aprovar e implantar seus aplicativos para qualquer ambiente. Crie orquestrações de implantação automatizadas para cada ambiente, independentemente da complexidade da configuração. A entrega de seu software com mais frequência e facilidade para um ambiente permite que seus testadores trabalhem na validação de seu sistema e mantém os participantes envolvidos em fornecer comentários.

Há diversas outras ferramentas a serem exploradas, e que está disponíveis no Portal do TechNet Wiki para conhecimento e estudos.

– Artigos sobre IaC

no Portal do TechNet Wiki há artigos sobre essa tecnologia, para saber mais vá na pesquisa e procure por termos como ALM, DevOps, IaC.

Maiores Informações e Fontes de Referência

Recursos técnicos para praticantes de DevOps

Microsoft DevOps

System Center– SCCM – failed to download content with error code of -2016410105

Sintomas

Ao tentar implantar um software pelo Portal de Catálogo de Aplicativos, o aplicativo não é instalado e no Visualizador de Eventos do Windows é gerado o Event ID 12109 da Font Configuration Manager Agent com a mensagem failed to download content with error code of -2016410105.

image

Observando no Software Center da estação

image

Observa falha no download do aplicativo.

Causa

Uma das causas pode ser a falta ou configuração incorreta dos Limites (Boundares) ou Grupos para a implantação do software.

https://technet.microsoft.com/pt-br/library/gg712679.aspx#Brasil (Português)

Resolução

Será necessário configurar ou corrigir os limites (boundares) no seu servidor Configuration Manager.

Crie um Boundare Group e insira o local que fará parte do seu grupo.

image

image

Defina o Servidor do Sistema que irá fazer parte desse limite.

image

Pronto. Depois realize novamente o Deploy de sua aplicação pelo portal

image

E acompanhe pelo Software Center

image

DevOps – Powershell DSC – Lista de Features do Windows e Exemplo de Implantação

Introdução

Para conhecer mais sobre o Powershell DSC, veja o artigo do Portal do TechNet Wiki.

O que é o Powershell DSC?

Há também mais materiais disponíveis no link do Portal do TechNet Wiki:

TechNet Wiki – Artigos sobre Powershell DSC

Listando e Identificando as Features

Para facilitar a implantação de uma feature via Powershell DSC, você pode listar as mesmas para saber como colocar o nome no script de geração do arquivo MOF.

Para isso, digite no prompt do Powershell digite o comando: Get-WindowsFeature

image

Ele irá trazer uma lista de recursos disponiveis no Windows.

image

Exemplo de Implantação

Vamos realizar um exemplo básico de implantação via Powershell DSC. Na lista exibida anteriormente, iremos implantar a feature de DNS.

Observe na tela que ela está disponível, porém não instalada.

image

Digitando no search do Windows, observamos que não há nada sobre DNS no servidor.

image

Sendo assim criamos um script para a geração do arquivo MOF.

Maiores informações, acesse o artigo do Portal do TechNet: DevOps – Powershell DSC – Criando um Arquivo MOF

O script terá esse formato abaixo, onde o nome da feature está definido conforme o Print-Screen.

image

O código do arquivo é:

Configuration ConfDNSDSC
{
  param ($MachineName)

  Node $MachineName
  {
    #Implantar a Role de DNS
    WindowsFeature DNS
    {
      Ensure = “Present”
      Name = “DNS”
    }

   
  }
}

Salve em PS1 e execute o mesmo.

image

Em seguida, gere o arquivo MOF, usando o comando abaixo.

Obs.: Qualquer dúvida que tenha sobre a estrutura e comandos do Powershell DSC, veja esse artigo do TechNet Wiki: DevOps – Exemplo de Implantação de Função Web Server (Feature do IIS) com o Powershell DSC

ConfDNSDSC –MachineName “servdevopsapp”

image

Depois do arquivo MOF gerado, execute o comando via Powershell para o arquivo ser consumido.

Start-DscConfiguration –Path .\ConfDNSDSC –Wait –Verbose

image

Observe a execução do mesmo.

image

Veja que gerou um alerta sobre a configuração de IP dinamico, onde o DNS necessita que o IP seje fixo. Porém continuou sem grandes problemas.

image

A implantação foi feita com sucesso.

image

Rodando novamente o comando Get-WindowsFeature, observe que a feature agora está instalada.

image

image

Inclusive binários foram implementados.

image

Isso é possível ser feito com qualquer feature do Windows, e também outros produtos de terceiros usando Modulos Adicionais disponíveis no site do time de produtos do Powershell.

Maiores Informações

http://technet.microsoft.com/en-us/library/dn249912.aspx

Dica do Dia – Relatórios de desempenho do servidor com o Operations Manager

Imagine o cenário onde você recebe reclamações dos seus clientes em que determinado serviço, processo, aplicativo Web (Portais e Web Services) ou servidor estão apresentando desempenho abaixo do esperado. Como podemos identificar se esses pontos relatados tiveram incidentes de desempenho, e depois comparar com outros relatórios para identificar a cauza-raiz?

Para identificar essa incidentes, há diversas formas, uma delas é gerar um relatório do Operations Manager do Objeto que você deseja identificar o desempenho. Veja abaixo um exemplo:

Vá em Relatórios – Windows Server Operations System Reports

image

Selecione o objeto Computador que você deseja analisar e selecione o intervalo de datas.

image

image

image

Depois, avalie os relatórios para identificar se há pontos de afunilamento em Processador, Memória, Disco, entre outros. Caso haja, você poderá tirar um outro relatório mais detalhado para identificar qual o processo que está consumindo tais recursos e entender o motivo.

Simples assim.

Espero ter ajudado e até a próxima!

Alan Carlos

Management Summit Brasil 2014

 

Artigo Original Blog do Technet Wiki, clique aqui.

Olá Comunidade TechNet Wiki!

Meu nome é Alan Carlos e hoje é domingo, final de semana surpresa!!!

Hoje o assunto é o evento: Management Summit Brasil

Importante: Logo abaixo, há diversos links de artigos técnicos do Portal Technet Wiki sobre visão geral, instalar, configurar, licenciamento e integrações do System Center.

Sobre o Evento

O Management Summit é o maior evento sobre System Center feito pela comunidade, com diversas palestras e excelentes conteúdos técnicos para ajudar você, seu time e empresa a ter uma gestão efetiva de toda a sua Cloud, seja privada (on-premisses), pública (Microsoft Azure) ou híbrida!

Local e Data: Acontecerá na Microsoft em São Paulo, no dia 29 de Novembro de 2014 e você não pode ficar de fora!

Sobre o System Center

O System Center é uma suíte completa para ser usada pelo time de Operações e Desenvolvimento de sua empresa, pois ela faz a gestão completa de:

– Virtualizações
– Servidores (Windows, Linux, e outros)
– Sistemas
– Serviços
– Aplicativos (.NET, JAVA)
– Portal de Serviços
– Backups
– Storages, switchs, SNMP
E atende a todos os requisitos de normas (ISO 27001, por exemplo) e frameworks (ITIL e COBIT) de boas práticas de Governança de TI, Políticas de Segurança da Informação e Gerenciamento de Serviços de forma ágil e intuitiva, integrando-se em sistemas Microsoft e de terceiros facilmente.

Eu particularmente conheço o System Center desde sua versão 2007, e realizo toda a gestão de TI através de suas excelentes ferramentas como:

System Center Operations Manager – Gestão de todos os ativos (Storages, Switchs, Virtualizações, Aplicações (Web, Web Services, Processos, Serviços e Banco de Dados), Servidores Active Directory, Team Foundation Server, DNS, DHCP, etc.), com alertas, dicas de melhores práticas, monitoramento proativo e reativo, e muito mais.Tenha relatório de desempenho, uso de recursos, identificação de incidentes e mais.

Obs.: Veja aqui nesse Post do Blog do Technet Wiki o que postei quando estava realizando uma manutenção em nosso sistema de missão crítica e como o System Center me apoiou.

System Center Data Protection Manager – Ferramenta de gestão de Disaster and Recovery completa, com ela tenha uma gestão segura de todos os seus dados, seja virtualizações, backups de bancos de dados com transações financeiras (backups feitos em tempo real, sem onerar as transações). Gere relatórios KPI com um único clique, receba alertas em conjunto com o Operations Manager para identificar se houve falhas de backups, faça testes automáticos em seus backups, garantindo a integridade dos dados.

System Center Service Manager – Portal de gerenciamento de serviços ao usuário, que pode ser integrado inclusive com o Microsoft Exchange (abertura de chamados via e-mail, além da opção nativa que é via Portal Web, Operations Manager para abertura automática de incidentes e também com o System Center Orchestrator para automatizar fluxos de trabalho, montando um portal Self Service ao usuário e “desonerando” o time de TI em “operações básicas” do dia a dia como criação de usuários, e-mails, grupos de segurança, regras de firewall, coleta de dados para diagnósticos de incidentes.

System Center Advisor – Excelente aplicativo que pode ser integrado ao System Center Operations Manager que ajuda identificando melhores práticas de configuração dos aplicativos como Banco de Dados, DNS, Active Directory, aplicação de patches de correção e outros.

System Center Global Services Monitor – Esse sistema de monitoramento de desempenho de aplicativos em diversos pontos no mundo é muito útil e funcional. Resolvi incidentes em que se atribuíam a aplicação  usando ele e identificando que os afunilamentos ocorriam devido a links intercontinentais e justificando em números o uso do Microsoft Azure para a replicação de hospedagem de aplicativos Web no continente europeu.

System Center App Controller – Esse sistema auxilia na gestão e entrega de ambientes e aplicativos prontos em seu ambiente de TI de forma rápida e funcional, através de um portal de Autoatendimento. Depois de definido os aplicativos, serviços e virtualizações e configurado os templates, uma entrega pode demorar menos de 30 minutos. Já consegui com esse aplicativo, operacionalizar entregas de servidores Banco de Dados que levavam 24 horas para apenas 20 minutos. Você unindo o System Center App Controller + System Center Virtual Machine Manager + System Center Service Manager + System Center Operations Manager, você consegue ter um fluxo de trabalho onde: Um solicitante abre uma demanda de um Servidor Banco de Dados, essa solicitação dispara automaticamente um tramite de aprovação que vai ao responsável, por e-mail por exemplo, ele aprovando o App Controller realiza o “deploy” automaticamente do ambiente em 20 minutos no máximo (sendo desenvolvimento, homologação ou produção). Ou seja, tudo no poder de um clique!

System Center Configuration Manager –  Faça a gestão de todo o seu parque de TI. Com ele, você pode manter o software atualizado, definir políticas de segurança e monitorar o status dando a seus usuários acesso aos aplicativos preferenciais nos dispositivos que escolherem. Estenda sua solução do Configuration Manager local para a nuvem integrando o Windows Intune para permitir que os funcionários remotos, móveis e de filiais usem os dispositivos que melhor atendam às suas necessidades. Veja esse artigo do Jefferson Castilhos sobre Windows Intune.


                    Figura da Página do Canal System Center

Portal Technet Wiki e Microsoft Curah! – Conteúdos System Center

O Portal do Technet Wiki é um dos locais que possui mais material sobre System Center e que pode te ajudar e muito desde Gestão de aplicativos, ativos, portal de serviços, backups, entre outros!

Vejam alguns artigos:

Artigo: Gestão 360 System Center Operations Manager em 06 Passos

Descrição: Veja nesse artigo do Technet Wiki como realizar uma gestão completa de seu parque de TI (no local ou em nuvem), integrando as ferramentas System Center Global Services, System Center Advisor, Management Packs de Gestão de Aplicativos e Ativos, e muito mais.

Microsoft Curah! – System Center – Monitorando suas Aplicações

Descrição: Monitore suas aplicações .NET e JAVA com o Operations Manager e tenha em tempo real informações como: Incidentes, Desempenho, Recuperação de Falhas, e muito mais. Configurar envio de alertas por e-mail, SMS, recuperação automática de processos, eventos.

Artigos Técnicos sobre o System Center Data Protection Manager

Descrição: Coleção de artigos sobre o System Center Data Protection Manager como licenciar, instalar, configurar, uso de fitas, melhores práticas de backup e recuperação de desastres.

Artigos Técnicos sobre o Service Manager

Descrição: Coleção de artigos sobre o que é o Service Manager e como usar ele para a gestão de seu Catálogo de Serviços, como instalar, criar conectores com o Active Directory.

Artigos Técnicos sobre o System Center Global Services Monitor

Descrição: Coleção de artigos sobre o Global Services Monitor, como configurar e monitorar suas aplicações, serviços e servidores.

Artigos Técnicos sobre o System Center Operations Manager

Descrição: Coleção de artigos sobre o Operations Manager.

Artigos Técnicos sobre o System Center Configuration Manager

Descrição: Coleção de artigos sobre o Configuration Manager escritos pela comunidade TechNet Wiki.

E há ainda muito material no Portal Technet Wiki, acesse lá e veja mais.

Links sobre System Center

Página Oficial do Produto

Página do Canal System Center no Facebook

Blog do Cléber Marques sobre System Center

Blog do Time do System Center

Página do Evento

Downloads do System Center

Downloads do System Center Technical Preview (Lançamento)

Artigos sobre System Center no Portal Technet Wiki

Cursos sobre System Center no Microsoft Virtual Academy

Certificações System Center (Configuration Manager, Nuvem Privada e Virtualização com System Center)

Wallpaper feitos pelo Cléber Marques sobre o System Center

Bom é isso! Espero que aproveitem as dicas e nos vemos no evento!

Até a próxima!

Alan Carlos
Technet Wiki Ninja

Como Montar um Help Desk/Service Desk

Olá Pessoal!

Tive o prazer de ministrar um Curso voltado à Help Desk no programa Geração TEC com uma excelente turma em Lages/SC e com total apoio da fundação Carlos Joffre. Então separei alguns materias que confeccionei ao longo desse treinamento e estou disponibilizando no SlideShare para os alunos que participaram e também para os demais terem uma noção do que é um Help Desk e Service Desk e como montar e estar preparado para trabalhar nessa tão importante área.

Antes, um pouco mais sobre o GTEC:

O Governo de Santa Catarina em parceira com instituições sem fins lucrativos das cidades, realiza o programa Geração TEC.

O que é o Geração TEC:

Talentos empreendedores para o mundo da tecnologia é um Programa que cria oportunidades para jovens e adultos por meio de qualificação profissional. Existe um universo significativo de vagas abertas no setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) em Santa Catarina, porém, não há profissionais treinados para ocupá-las.

Por meio da formação de novos profissionais para a área de tecnologia, o Programa Geração TEC busca reduzir a demanda de vagas em todo Estado.

Este setor é um dos que mais cresce e tem papel fundamental na introdução da nova economia, na qual a qualidade de vida está aliada à geração de emprego e renda para todos e à preservação dos recursos naturais.

O Programa Geração TEC, instituído pelo Governo do Estado/Secretaria do Desenvolvimento Econômico Sustentável, é executado através da FAPESC, em parceira com instituições do setor de tecnologia e informação.

Para quem?

O Geração TEC formará uma nova geração de profissionais e empreendedores para trabalhar com tecnologia e inovação em Santa Catarina. Jovens e adultos a partir de 17 anos, com no mínimo o ensino médio completo ou cursando o último ano, e que não estejam empregados em atividades relacionadas à programação, podem se inscrever. Fazem-se necessários conhecimentos de lógica, inglês e boa fundamentação em matemática.

Como participar?

Para participar, é preciso se inscrever no Programa e passar pelo processo seletivo.  As fases de seleção são definidas de acordo com as peculiaridades de cada linguagem e da região atendida pelo Programa.

Saiba mais: http://geracaotec.sc.gov.br/

Alguns materiais sobre Suporte Help Desk:

Hep Desk – Ambiente e Sistemas

Help Desk – Hardware e Sistemas Operacionais

Help Desk – Base de Conhecimento, Scripts e Estratégias de Atendimento 

Help Desk – Principais Ferramentas Técnicas e Erros Comuns

Help Desk – Fundamentos do ITIL – IR, CR e Problemas, Medição de Desempenho, KPI

Help Desk – Tenha um Help Desk de Qualidade

Espero que ajude!

Até +!

Alan Carlos

ALM – DevOps – SCOM – Monitorar Aplicações Web, Desempenho, Disponibilidade e Executar Ações de Recuperação

Introdução

Nesse artigo, irei demonstrar que além de você poder utilizar o System Center Operation Manager para monitoramento de seu ambiente de TI, você também pode usar para monitorar aplicações Web, enviar alertas para seu time de Testes em tempo real, realizar ações automáticas como ativar um Debug, executar um reinicio de serviço, ou algo similar.

Destaco itens como:

– Monitorar a aplicação usando links diferentes com servidores diferentes para identificar o comportamento em links mais rapidos (+100 Kbps), mais lentos (-100 KBps);

– Monitorar em cidades ou paises diferentes, na ausência de servidores nessas localidades, você pode usar o serviço System Center Global Services Monitor da Microsoft;

– Enviar alertas SMS ou e-mail em tempo real para sua equipe. Você pode colocar um aplicativo Web em um cliente externo e monitorar o aplicativo em tempo real e identificar se apresenta falhas, realizando um trabalho de solução de forma rápida e eficaz!;

– Monitorar desempenho, timeout, erros genéricos, falhas de Web Services, entre outros filtros disponíveis;

– Executar ações automáticas como, reinicios de serviços, ativação de debugs, entre outras execuções via PowerShell, Scripts VBS, Executáveis, etc.;

Passos

1 – Definir o Site da Aplicação

Defina o site que será monitorado. No exemplo, usei um simples site HTML, mas é possivel monitorar aplicações Web, Web Services, etc.

image

image

2 – Criar o Alerta

Em seguida, crie o alerta usando o painel do SCOM.

image

image

image

image

Aqui você definirá qual será o Agente do SCOM que irá realizar o teste. Pode-se definir um ou vários, caso você tenha outros servidores sendo monitorados. Nesse caso, por exemplo, você poderia realizar testes com servidores em outras cidades ou países, ou até saídas de links diferentes (cada servidor saindo por um link), e você poderia validar a qualidade de acesso, disponibilidade em outras localidades, etc. Também pode-se usar o Global Service Monitor que é um serviço da Microsoft.

image

image

Aqui você poderá selecionar as regras de monitoramento, como tempo de intervalo, tipo de status a ser monitorado, tempo de timeout, alertas de “Warning” se a transação levar mais de tantos segundos.

image

image

Resumo Final:

image

Em seguida crie um Grupo para inserir o monitoramento em questão.

image

image

3 – Criar o Monitoramento e Tipo de Evento

Aqui estaremos criando a assinatura para o envio do alerta para E-mail e SMS.

E-mail

Você precisa ter configurado um servidor de e-mail no seu SCOM para enviar o e-mail, conforme a tela abaixo.

image

SMS

Para envio SMS, você precisa usar um MODEM de uma operadora de telefonia com um CHIP de celular e com um plano qualquer, se você enviar muitos SMS, dê preferência por planos com pacotes de SMS. Insira o MODEM USB no seu Servidor SCOM, instale ele e depois configure nos canais do SCOM.

image

image

Com os canais definidos, iremos agora adicionar os alertas.

image

image

Defina os critérios do teste. No caso irei definir o grupo que contém o monitoramento e o tipo de alerta “Critical” onde o site está indisponível. Você também pode monitorar “Warning” onde o site demonstra demora excessiva de acesso, ou algo similar.

image

Adicione o Grupo de Alerta “Specific” e a Severidade “Specific”.

image

image

image

Aqui você poderá criar ou adicionar um contato.

image

image

Adicione os canais de envio:

image

Valide o resumo:

image

E pronto.

4. Teste do Alerta

Vamos testar o alerta, tornando a aplicação indisponível. Para isso, vá no Internet Information Services e pare o Site Web.

image

image

Abra o painel do SCOM e veja que o alerta foi gerado:

image

Observe que recebi o alerta via e-mail também:

image

Então você pode adicionar diversos alertas, ficando a seu critério e planejamento quais, pois nas opções do SCOM há várias possibilidades a serem inseridas com os itens que destaquei.

5. Configurar disparo de execução

Nesse item, você pode definir para que o SCOM execute uma atividade para você, por exemplo:

– Ativar um serviço que ficou em estado de parado;

– Ativar um debug ou trace de aplicação;

– Executar scripts Powershell, VBS, comandos de lote .BAT, executáveis;

Também de forma programada, ou seja, aguardar alguns minutos e caso o alerta não se resolva, tomar as medidas necessárias.

Vamos ativar uma ação de recuperação do Internet Information Services nesse caso.

Primeiramente, devemos definir o que nossa recuperação irá fazer. No caso, iremos executar um comando simples de iniciar o Site Web específico. Então vamos testar esse comando:

Vá no Internet Information Services e pare novamente o site que você está monitorando.

image

image

Confira se o site está indisponível.

image

Agora, essa parte depende muito do que você deseja fazer. Como queremos apenas iniciar o Web Site, pesquisei no KB da Microsoft qual linha de comando devo usar para esse fim, e no caso é o APPCMD. Depende do que você deseja fazer, você deverá pesquisar e montar o script de ação para que funcione corretamente, até montando scripts ou arquivos de lote com diversas execuções, em passos e tempos determinados, etc.

Nesse caso, será um simples START do Web Site em questão, então vamos testar. O comando para iniciar um Web Site específico é o abaixo, onde defino a ação e o Web Site em questão.

image

Depois do comando executado, volto no IIS para validar se o Web Site voltou a funcionar.

image

image

Eureca!

image

Então vamos hospedar esse script para que meu agente do Operation Manager consiga executar o procedimento para mim.

Como sugestão, crie um arquivo de LOTE como por exemplo arquivo .BAT e hospede esse Script dentro do seu servidor. Será muito util, por exemplo, você criar um diretório padrão de Scripts e criar esses scripts dentro desse diretório e distribuir nos servidores que deseja que as ações sejam executadas.

Por exemplo, crie um diretório chamado ScriptsSCOM no servidor.

image

Crie um arquivo de LOTE (BAT) e salve dentro desse diretório. No caso iremos criar um arquivo de LOTE chamado iniciaiis.bat com o comando dentro dele %windir%\system32\inetsrv\appcmd start site “Site de Teste de Operação”

image

image

Vá em Authoring – Web Application Availability Monitoring, procure seu monitoramento e vá em Monitors.

image

image

image

image

image

image

Selecione em qual estado que o monitor deve estar para executar o comando, se deve-se recalcular sozinho para fechar, etc.

image

Selecione o comando, como o exemplo abaixo.

image

Pronto! Realize um teste e verifique se está OK.

Algumas dicas:

– Verifique se a conta que executa o agente no servidor de destino, possui as devidas permissões para executar os comandos;

– Use de preferência, sempre Scripts ou arquivos de Lote em vez de comandos diretos no SCOM;

– Cuidado com acentos, nomes de serviços com caracteres especiais, comandos com caracteres especiais;

– Teste sempre o comando ou script primeiro, e veja se funciona, para depois colocar no alerta!

É isso, até a próxima!

Alan Carlos