DevOps – Migrando Projeto TFVC para GIT – VSTS

Esse artigo irá demonstrar como realizar a migração de um projeto TFVC para o GIT de duas formas.

– Por Comandos

Realize o download da ferramenta GIT para Windows:

https://git-for-windows.github.io/

Em seguida instale-a.

image

Depois realize o download da ferramenta GIT-TF:

https://gittf.codeplex.com/releases/view/116074

Extraia no diretório GIT-TF

image

Crie um diretório chamado GIT

Depois vá em Propriedades do Sistema – Avançado – Váriáveis de Ambiente – Váriáveis do Sistema – Path e insria o caminho C:\GIT-TF

image

Depois vá no seu prompt de comando, como administrador, vá no diretório GIT e clone seu projeto digitando o comando:

git-tf clone https://myaccount.visualstudio.com/collection $/MeuProjeto/MinhaBranch

image

Em seguida, no TFS crie um Repositório GIT

image

Depois de criado, copie a URL:

image

Vá no diretório que você clonou o repositório, depois digite o comando GIT REMOTE ADD ORIGIN e cole o endereço que você acabou de copiar.

git remote add origin https://devopsdemonstration.visualstudio.com/Projeto%20Exemplo/

Depois digite o comando:

git push origin master

image

Depois acesse seu repositório e veja se a importação ocorreu normalmente.

image

– Pelo Portal do VSTS

Abra seu Projeto no VSTS

image

Em seguida vá em Import Repository

image

Selecione as opções, sendo Origem TFVC, tempo de histórico de mudanças até 180 dias atrás e Path o caminho de seu repositório atual.

image

image

Depois verifique seu novo repositório.

image

DevOps – [error]System.Management.Automation.RemoteException: Parent node has no children of type application.

Cenário

Ao tentar realizar um Deploy (Release) em seu ambiente pelo Team Foundation Server (VSTS) ocorre o seguinte erro: [error]System.Management.Automation.RemoteException: Parent node has no children of type application.

image

Causa

Isso ocorre pois o nome do Site do Internet Information Services que você está tentando realizar a implantação, não condiz com o nome de sua variável WebSiteName no ambiente que você está tentando realizar o Deploy (Release).

image

Solução

Verifique no seu ambiente de Deploy (Release) o nome correto do WebSiteName que está configurado e coloque o mesmo nome na variável WebSiteName para que o release (deploy de seu aplicativo) ocorra corretamente.

image

image

DevOps–Directory %BUILD% empty. Nothing will be added to build artifact ‘drop’

Sintoma

Ao tentar compilar seu aplicativo pelo Build do Team Foundation Server aparece as mensagens:

Directory ‘%Build%’ is empty. Nothing will be added to build artifact ‘drop’

Please check to make sure that you have specified a valid combination of Configuration and Platform for this project. Configuration=’release’ Platform=’any cpu’. You may be seeing this message because you are trying to build a project without a solution file, and have specified a non-default Configuration or Platform that doesn’t exist for this project.

image

Causa

Isso normalmente ocorre quando você tentar compilar (build) um projeto em vez de solution. Como você não está compilando a solutions é necessário realizar uma alteração na configuração de seu Build para que a compilação funcione corretamente.

Solução

Vá em Queue build selecione seu agente e em seguida vá na opção BuildPlatform e junte “any cpu” ficando assim “anycpu”. Em seguida compile sua aplicação que irá funcionar corretamente.

image

DevOps – Migração entre domínios do Team Foundation Server

Introdução

Esse artigo tem como finalidade auxiliar na migração de um TFS de um ambiente para outro.

Cenário

O cliente possui um domínio ABC. Nesse domínio está instalado o Team Foundation Server 2013 Update 5 e os usuários do domínio estão inseridos com direitos de leitura e administração das coleções de projetos. O cliente necessita que seja feita uma nova instalação de TFS em outro domínio DEF e os dados do TFS do domínio ABC sejam utilizados nesse novo TFS. Os usuários do domínio ABC logam também no domínio DEF com a mesma conta, apenas em domínios diferentes. Por exemplo o usuário JOSE tem o login ABC\JOSE e no domínio DEF possui também um usuário chamado JOSE, sendo que ele loga como DEF\JOSE. Os administradores do TFS desejam que o usuário JOSE possa utilizar os dois TFS nessa transição, podendo logar em um TFS como o login ABC\JOSE e ver os projetos e coleções devidos e logar no outro TFS com o login DEF\JOSE e ver as mesma coleções e projetos nesse TFS nessa transição.

Requisitos

– Você precisará ter direitos administrativos nos dois domínios, servidores e Team Foundation Server dos dois ambientes;

– Mídia de instalação do Team Foundation Server 2013 Update 5;

– Um Servidor e Instância de SQL exatamente igual ao do domínio ABC no domínio DEF.

Passos

O primeiro passo é replicar exatamente igual os usuários e grupos de domínio que utilizam o Team Foundation Server do domínio ABC para o domínio DEF. Por exemplo, se você possui o usuário ABC\PEDRO que acessa o TFS do domínio ABC, você precisa replicar exatamente igual, inclusive na mesma OU o usuário PEDRO no domínio DEF, pois iremos depois realizar a alteração de usuário quando terminarmos a migração do Team Foundation Server.

Em seguida será necessário realizar o backup dos dados do Team Foundation Server do domínio ABC (iremos chamar o domínio ABC de ESXLAB e o domínio DEF de PORTO devido ao laboratório). Nesse backup serão necessários realizar os backups de todas as informações inclusive da chave de criptografia do Reports do SQL Server no Team Foundation Server.

Acesse o Team Foundation Server Administration Console do domínio ESXLAB e vá em Schedule Backup e agende seus backups. Caso já estejam agendados e você possui já a chave de criptografia do SQL Reports, pule essa fase. Caso não remova a agenda e refaça novamente.

Continuar lendo

DevOps – Criando um Load Test (Teste de Carga ou de Desempenho) usando o JMETER e o Application Insights

Introdução

Criei esse artigo para auxiliar na criação de um Teste de Desempenho ou Carga (Load Test) usando duas ferramentas ideais para esse teste. Esse artigo saiu depois de uma conversa que eu tive com o André Dias acerca do uso dessas duas potentes ferramentas e a facilidade delas para realizar testes e acompanhar o desempenho de seu Site Web ou Application Web em vez de utilizar manualmente logs do Windows como os contadores de desempenho por exemplo.

Cenário

Esses passos simulam que seu Application Web ou Web Site está instalado em um Servidor Local ou IaaS do Azure, pois se fosse um Web Application do Azure (PaaS) a opção de utilizar o Application Insights já estaria disponível no portal do Azure.

Veja mais informações e dicas no site abaixo:

Monitorar o desempenho do aplicativo Web do Azure (Azure Web Apps)

Passos

O primeiro passo é a configuração e instalação de Application Insights em sua assinatura e seu servidor.

– Habilitando o Application Insights para monitorar um Portal Web no Iaas do Azure já em funcionamento ou em seu servidor local da empresa.

Vá no Portal Azure em Novo e digite Application Insights e selecione a opção.

clip_image002

Continuar lendo

Azure – Fazendo e Restaurando Backups

Introdução

Esse artigo tem como finalidade, apoiar para você realizar um backup de dados no Azure.

Passos para Realizar um Backup de uma Virtualização no Azure

Abra o portal do azure http://portal.azure.com em seguida vá no Marketplace selecione Backup and Site Recovery

image

Crie um novo Cofre do Recovery Services.

image

Depois procure o recurso em todos os recursos.

image

Em seguida vá em Backup do Recurso.

image

Escolha a meta do backup, no nosso caso será no Azure e será da Virtualização. Se fosse on-premise (local) poderiamos escolhar Arquivos e Pastas, SQL, Exchange e outros, onde seria baixado um software para realizar o backup.

image

Defina sua política de backup, no nosso caso será diária.

image

Escolha a maquina virtual que deseja fazer o backup.

image

Pronto, seu backup está configurado.

Passos para executar um backup de arquivos de sua virtualização no Azure

De dentro da virtualização acesse seu portal do Azure e faça o download do agente de backup.

Para isso, em recursos, procure pelo seu cofre de backup.

image

Vá em Propriedades e faça o download do agente para seu servidor do Azure.

image

Em seguida, faça download das credenciais de backup (Backup Credentials) pois você irá precisar dela para conectar seu agente com seu portal e backup.

image

Instale o agente MARS.

image

image

Em seguida proceda com o registro.

image

Use a chave que você fez download no passo anterior.

image

Gere sua senha e grave-a em um local seguro.

image

Pronto, instalação e registro do MARS em seu Servidor feito com sucesso.

image

Lembre-se o MARS é apenas para realizar backup internos, backup da Virtualização é feito diretamente no Portal do Azure.

Depois você pode realizar backups internos seguindo o Wizard.

image

image

image

image

image

image

Faça o backup para a nuvem em tempo real, ou agende o mesmo.

image

Depois acompanhe os Jobs de Backup.

image

Restaurando um Backup da sua Virtualização

Vá em todos os recursos e procure pelo seu cofre de backup.

image

Vá em Políticas –> Itens de Backup

image

Selecione seu backup

image

image

Clique em Restaurar VM

image

image

Selecione seu tipo de restauração (Disco ou Virtualização).

image

Digite o nome da virtualização, caso escolha restaurar a virtualização, em seguida clique para restaurar.

Aguarde o término da mesma. Depois vá na em Virtualizações do Hyper-V e observe que a mesma foi restaurada lá.

image

Restaurando um Backup de Arquivo do MARS

De dentro da Virtualização do Azure, abra o MARS e vá em Recovery Data.

image

Selecione o Servidor que você deseja restaurar o backup.

image

Selecione o tipo de backup que você gostaria de restaurar.

image

Selecione a data de restauração.

image

Monte o volume.

image

Faça a cópia de seus arquivos.

image

Azure – Como Mover uma Virtualização do Azure para um Conjunto de Disponibilidade

Introdução

Esse artigo tem como finalidade explicar como você deve mover uma virtualização que não está em um Availability Set para um Availability Set.

Microsoft: Os conjuntos de disponibilidade fornecem redundância ao seu aplicativo. Recomendamos o agrupamento de uma ou mais máquinas virtuais em um conjunto de disponibilidade. Essa configuração garante que durante um evento de manutenção planejada ou não planejada, pelo menos uma máquina virtual estará disponível e atenderá os 99,95% SLA do Azure. Para saber mais, confira SLA para máquinas virtuais.

Continuar lendo