DevOps – Cloud Shell – Criando uma Virtualização Windows–Parte 1/2

Introdução

Esse artigo tem como finalidade lhe auxiliar na criação de uma Virtualização Windows no Azure usando o Cloud Shell, com algumas dicas adicionais.

– Criar uma Máquina Virtual Windows no Cloud Shell.

Há diversas formas de criar uma virtualização Windows no Azure desde comandos simples até mais complexos para uma automação, por exemplo.

Para uma boa organização, é importante que você defina alguns itens, como se tivesse preparando um Servidor para sua organização.

Você deverá pensar em pontos como:

– Local de Armazenamento do seu Servidor
– Placa de Rede
– Disco
– Processador
– Firewall e Regras de Acesso

Há outros itens, mas no caso iremos chegar a um meio-termo para uma criação enxuta de sua Máquina Virtual, como é feito no Wizard do Portal do Azure.

No Portal, temos que nos preocupar com os itens:

– Edição do Windows
– Nome do Servidor
– Tipo de Disco do Sistema Operacional
– Nome de Usuário
– Senha
– Assinatura que o Servidor ficará hospedado
– Grupo de Recursos
– Localização
– Se você já possui uma licença do Windows para economizar 40% (Se sua licença por SA)
– Tamanho do seu Servidor
– Se é Alta Disponibilidade
– Se os discos são gerenciados
– Rede Virtual
– Sub-Rede
– Endereço IP Publico
– Grupo de Segurança de Rede
– Desligamento automático e horário de desligamento
– Notificação antes de desligamento
– Diagnóstico de Inicialização
– Diagnósticos do Sistema Operacional Convidado
– Conta de Armazenamento dos Diagnósticos
– Backup

Alguns dos itens são automáticos e sua relevância é baixa na criação da VM, uma vez que você poderá ativar os mesmos depois.

Alguns itens você pode criar primeiro antes de criar a virtualização, é até recomendado, e depois usar de variáveis para submeter a VM a esses itens, como Grupo de Recursos, Grupo de Segurança de Rede, ou você pode criar os mesmos junto a primeira criação da VM, o que irá aumentar o tamanho do seu Script, e esse script criado, não poderá ser usado novamente, pois você não poderá criar duas vezes o mesmo Grupo de Recursos por exemplo.

Então nesse artigo, irei elencar os itens mais importantes e iremos cria-los um a um, para depois criarmos nossa VM no Cloud Shell.

– Edição do Windows: Definido no momento do script de criação da VM
– Nome do Servidor: Definido no momento do script de criação da VM
– Tipo de Disco do Sistema Operacional: Definido no momento do script de criação da VM
– Nome de Usuário: Definido no momento do script de criação da VM
– Senha: Definido no momento do script de criação da VM
– Assinatura que o Servidor ficará hospedado: Definido no momento do script de criação da VM

– Grupo de Recursos

Esse primeiro item deve ser criado com o seguinte comando, substituindo os valores pelos seus próprios. Mas antes de executar o comando, você precisa definir qual a localização que esse Resource Group irá fazer parte, para pegar a lista via PowerShell para você usar o mesmo nome depois digite:

Get-AzureRMLocation

image_thumb3

Esse comando retornará todas as localidades disponíveis na assinatura em questão para você escolher. A partir da lista de retorno, grave o DisplayName.

SNAGHTML506e986_thumb

Depois de definido a localidade, crie seu Grupo de Recursos digitando o seguinte comando, trocando os nomes de Grupo de Recurso e a localidade de sua preferência (lembrando que os valores das localidades variam, bem como tamanho de máquinas virtuais disponíveis).

New-AzureRmResourceGroup -Name USEAST2 -Location “East US 2”

image_thumb4

image_thumb5

– Localização: Definido no momento do script de criação da VM
– Se você já possui uma licença do Windows para economizar 40% (Se sua licença por SA): Definido no momento do script de criação da VM
– Tamanho do seu Servidor: Definido no momento do script de criação da VM
– Se é Alta Disponibilidade: Definido no momento do script de criação da VM
– Se os discos são gerenciados: Definido no momento do script de criação da VM

– Rede Virtual (VNET), SubRede e Grupo de Segurança de Rede

É um item que você irá compartilhar com outros servidores, então sugestiono que crie o mesmo antes para ser usado repetidas vezes. Essa rede virtual deverá fazer parte de um Grupo de Recursos e uma localidade que deverá ser a mesma em que a virtualização for criada. Importante que você precisará ter definido qual o endereçamento de IP dessa sua VNet e sua virtualização precisará estar no mesmo endereçamento IP na criação.

Para definir o endereçamento IP, Máscara, Quantidade de Hosts, acesse esse link:

http://jodies.de/ipcalc

Então para criar sua VNet você precisará da Localidade que já foi pega na parte de lista de localidades, endereçamento IP que deverá ser definido por você e Grupo de Recursos que já foi criado. De quebra iremos definir uma SubNet, um NSG (Grupo de Segurança de Rede) e uma regra de acesso RDP para você poder acessar sua VM pela Internet a partir do seu computador.

Iremos então criar variáveis com os comandos prontos para a criação da VNET.

Esse comando irá criar uma variável com a regra 3389 para ser anexada ao Grupo de Segurança.

$regra3389 = New-AzureRmNetworkSecurityRuleConfig -Name RDP -Description “Acesso RDP” -Access Allow -Protocol Tcp -Direction Inbound -Priority 150 -SourceAddressPrefix Internet -SourcePortRange * -DestinationAddressPrefix * -DestinationPortRange 3389

image

Em seguida, crie o Grupo de Segurança usando o seguinte comando, lembrando que você deverá definir o nome, ter o Resource Group e a Localidade:

$NSG = New-AzureRmNetworkSecurityGroup -Name NSGUSEAST2 -ResourceGroupName USEAST2 -Location “East US 2” -SecurityRules $regra3389

image

O próximo passo é criar a variável para a SubRede. Digite o seguinte comando:

$SubNetServidores = New-AzureRmVirtualNetworkSubnetConfig -Name SUBNETUSEAST2 -AddressPrefix 192.168.0.0/24 -NetworkSecurityGroup $NSG

image

Sub subrede será o IP Classe C com 254 Hosts, pois a mascara usada é a 24 (255.255.255.0). Quando você for criar a VNET você fará com um range maior, por exemplo 16 e essa subrede fará parte dela.

Por ultimo crie sua VNET usando essas variáveis criadas nos passos anteriores. Execute o comando abaixo:

New-AzureRmVirtualNetwork -Name VNETUSEAST2 -ResourceGroupName USEAST2 -Location “East US 2” -AddressPrefix 192.168.0.0/16 -Subnet $SubNetServidores

image

image

– Endereço IP Publico

Se você deseja acessar sua virtualização a partir da Internet sem o uso de Express Route ou VPN do Azure, o ideal é que sua VM tenha um endereçamento IP Publico. O mesmo pode ser criado com o seguinte comando, onde você determinará se ele é Dinâmico ou Fixo, sendo que há diferenças de preço em cada modalidade. Você precisará definir o Resource Group, o tipo de alocação, o nome DNS (que será completado com eastus2.cloudapp.azure.com devido a localidade que você está atribuindo o IP Publico.

New-AzureRmPublicIpAddress -Name publicipuseast2 -ResourceGroupName USEAST2 -AllocationMethod Dynamic -DomainNameLabel publicipuseast2 -Location “East US 2”

image

image

No próximo post iremos sequenciar falando do itens faltantes:

– Desligamento automático e horário de desligamento
– Notificação antes de desligamento
– Diagnóstico de Inicialização
– Diagnósticos do Sistema Operacional Convidado
– Conta de Armazenamento dos Diagnósticos
– Backup

Até a próxima!

Alan Carlos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s